Whatsapp para todos os programas. PARTICIPE!

Whatsapp para todos os programas. PARTICIPE!

Vamos trabalhar com um objetivo comum, diz nova presidente do BNDES


Maria Silvia Bastos Marques ao tomar posse como presidente do BNDES em cerimônia nesta quarta-feira (1°) Palácio do Planalto. Foto: Beto Barata/PR
Maria Silvia Bastos Marques ao tomar posse como presidente do BNDES em cerimônia nesta quarta-feira (1°) Palácio do Planalto. Foto: Beto Barata/PR
Após assumir a presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Silvia Bastos Marques afirmou que uma característica importante da equipe econômica do governo Temer é que “nós não vamos trabalhar de forma isolada”. Na cerimônia de posse nesta quarta-feira (1°), no Palácio do Planalto, ela garantiu que o BNDES cumprirá seu papel de fomentar o crescimento para que o País supere o momento econômico.
“Nós vamos trabalhar como uma equipe, um objetivo comum. Acho que isso vai facilitar muito e a gente vai conseguir andar rápido para conseguir exatamente o que todos desejam, que é retomar o crescimento da economia”, avaliou.
E apontou que, entre as áreas de atuação prioritárias do BNDES, estarão infraestrutura, concessões e parcerias, porque alavancam “os investimentos privados trazem qualidade de vida para a população por melhores serviços”.
Respondendo sobre a devolução pelo banco de R$ 100 bilhões em ativos que pertencem ao Tesouro Nacional, a presidente esclareceu que não se trata de uma redução da capacidade do banco de financiar investimentos.
“Esses R$ 100 bilhões foram calculados em conjunto com o próprio BNDES, eu também participei dessa discussão. Os R$ 40 bilhões que serão devolvidos agora foram definidos exatamente como excesso de caixa previsto para esse ano, comparadas as premissas de desembolso e recebimento. Os outros recursos serão devolvidos em um ou dois anos, também de acordo com a expectativa”, explicou.
Maria Silvia apontou ainda que, com a retomada do ciclo positivo na economia, o banco pode, por exemplo, captar recursos privados no mercado de capitais, com debêntures e com captações externas. “Em um mercado normal, na economia normal, eu acredito que essa questão de possibilidade de restrição de recursos, ela não existirá e se existir, será um bom problema, sinal que a economia cresceu e nós temos muita demanda. Nós vamos correr atrás desses financiamentos”.
Perfil
Maria Silvia Bastos Marques foi pesquisadora da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e professora da PUC-RJ. Já foi diretora do BNDES e presidiu a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Foi também secretária da Fazenda Nacional na capital do Rio de Janeiro, entre outros cargos no setor público.

Fonte Blog do Planalto
 
Copyright © 2012. RÁDIO REGIONAL - ·
Tema desenvolvido por Diego Farias/ Fagner Freire ·