Whatsapp para todos os programas. PARTICIPE!

Whatsapp para todos os programas. PARTICIPE!

Ceará: Estado quer vacinar 1,4 mi no Interior

Em populações não vacinadas, a maioria das mortes por influenza sazonal é registrada em idosos ( Foto: J. L. Rosa )
Iguatu Mediante o surto de gripe pelo vírus H1N1, com registro de mortes, em São Paulo, neste ano, a mobilização nacional foi antecipada. No Ceará, mais de dois milhões de pessoas deverão ser imunizadas contra a gripe. No Interior, 1.463.644 integram o grupo prioritário.
O fluxo diário de pessoas entre o Ceará e São Paulo coloca as autoridades em alerta. "Estamos preocupados e atentos, acompanhando diariamente a situação. Nos últimos dois meses não tivemos notificação", disse a coordenadora de imunização da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), Ana Vilma Leite.
No começo do ano, foram confirmados pela Sesa cinco casos da gripe H1N1, com registro de dois óbitos em decorrência de síndrome respiratória aguda grave. "O maior risco de adoecer e morrer são as crianças, gestantes e idosos. Há risco. O vírus é altamente transmissível, por isso a importância das medidas de prevenção e higiene", frisou.
Vilma Keite disse que é importante a procura por um serviço médico o quanto antes para as pessoas que apresentem sintomas da doença, que vieram de São Paulo ou que tiveram contato com quem viajou recentemente para aquele Estado.
A partir do próximo dia 30, no Ceará, serão 2.270 salas de vacinação para atender os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde para a 18ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. São crianças de seis meses a quatro anos; trabalhadores da saúde; gestantes; puérperas; indígenas, idosos acima de 60 anos; pessoas com doenças crônicas; adolescentes; jovens sob medidas socioeducativas; e população carcerária do sistema prisional.
"O nosso esforço é para que superemos a meta de 80% definida pelo Ministério. Temos uma série histórica de cinco anos acima desse percentual", disse. Na próxima semana, deve ser enviado o primeiro lote com 30% das doses para as cidades do Interior e, até o Dia D de mobilização, 30 de abril, cada município deverá ter um estoque de 70%.
Vilma Leite assegurou que não vai faltar vacina e cada cidade vai receber 100% das doses que neste ano incluem três tipos de vírus (H1N1, H3N2 e a Influenza B, que é sazonal). A campanha prossegue até o dia 20 de maio. "Não podemos ter estoque antecipado e há um prazo de produção. A imunização segue definição do Ministério da Saúde, com base no vírus circulante a cada ano", esclareceu.
A coordenadora da Sesa fez um apelo para que as pessoas procurem os postos de Saúde a partir do dia 30. "Não devemos ter medo da vacina, mas sim da doença. Estamos vigilantes com esse surto da doença em São Paulo e sabemos dos riscos, pois o fluxo de pessoas entre os dois Estados é constante", afirmou.
Os municípios são orientados a realizar busca ativa, por meio dos agentes de Saúde, para alcançar a meta, além de ampliar a campanha de divulgação da mobilização. "Monitoramos cada cidade e temos parceria com as secretarias de Saúde, oferecendo apoio e orientação".
Na rede particular, nas cidades do Interior, ainda não há vacina contra os tipos de Influenza. Em Iguatu, há uma clínica particular que atende a demanda. A expectativa é de que chegue o dia 20. Cada dose da tetravalente que inclui quatro tipos de vírus, dentre eles, o H1N1, deve ser vendida por R$ 120. Em 2015, custava R$ 70. Em Juazeiro do Norte, não há previsão de chegada das doses. No Sertão Central, unidades particulares não costumam ofertar o serviço de imunização contra a gripe.
2
 
Fonte Diário do Nordeste
 
Copyright © 2012. RÁDIO REGIONAL - ·
Tema desenvolvido por Diego Farias/ Fagner Freire ·